Dicas de Homem

A praxe é ou não um “ritual” bom

A praxe é um ritual bastante antigo nas universidades portuguesas, contando já com alguns séculos de existência. Contudo, nos últimos anos, as notícias de abusos e violência nas praxes acenderam o debate sobre se a praxe é ou não um ritual bom e aceitável. Neste artigo explicaremos o que é a praxe, e quais as razões dela existir.

A praxe é um ritual de iniciação para os novos alunos, praticado pelos “doutores”, alunos mais antigos, e de acordo com um conjunto de leis definidos dentro da comunidade estudantil. Este ritual de iniciação tem como objetivo receber e integrar os novos alunos. As praxes são práticas onde os novos estudantes são sujeitos a variadas atividades por parte dos praxistas. Algumas destas atividades podem ser consideradas por alguns como humilhantes, sendo no entanto voluntárias, e nunca obrigatórias. Regra geral, as praxes acabam por funcionar um pouco como na tropa, onde os elementos unem-se contra um “inimigo” comum, neste caso o praxista. Através da praxe, os laços entre estudantes criam-se mais rapidamente, acabando por facilitar a integração. Além disso, na maioria das praxes, existe verdadeiramente o espírito de inclusão nos meios académicos, pois os alunos mais velhos tornam-se “padrinhos” de novos alunos “afilhados”, ajudando-os e integrando-os.

Ou seja, a praxe, enquanto ritual, pode ser considerado bastante benéfico para os novos alunos. Contudo, quando a praxe foge a estas normas, então pode passar de uma prática positiva para negativa ou muito negativa. O praxista que praxa apenas pelo gozo de humilhar um colega, está apenas a denegrir a imagem de uma prática saudável.

Gostas-te? Então partilha!

Comenta!